No Brasil de hoje basta que um homem discorde de uma mulher para automaticamente passar a ser acusado de “praticar misoginia e sexismo”. Foi este o caso de Mehdi Hasan

mehdi-hasan
Mehdi Hasan

após entrevistar Dilma Rousseff na sexta passada (16) que atropelou a ex-presidente ao acusá-la de conivência com os desvios bilionários da Petrobras ou, na melhor das hipóteses, incompetência, pois no cargo que ocupava na época, ela tinha responsabilidade sobre a empresa. Alguém sugeriu que “um esquerdista muçulmano pode ser mais imparcial que o jornalismo brasileiro inteiro”, mas esta é uma visão que até diminui o trabalho dele… Na verdade, ele provou que é plenamente possível ter opiniões políticas bem definidas sem perder a objetividade no trabalho, até mesmo porque, “ser imparcial” não passa de um mito, ainda mais nesta profissão… Chegamos ao cúmulo de acusar um jornalista que leva seu trabalho a sério como “desrespeitoso”, simplesmente porque ele faz as perguntas que deveriam ser feitas. E se não tivéssemos o predomínio de lideranças tão medrosas e jornalistas tão anódinos em nosso país, com certeza nossa mídia e redes sociais seriam meios para um intenso aprendizado, no conteúdo e na forma de debater.

 

Cf. Em seu perfil no Twitter, Mehdi Hasan diz ser “um britânico perdido em Washington”. Muçulmano de origem indiana, o jornalista da emissora Al Jazeera, conhecida como ‘a CNN do mundo árabe’, virou manchete nos últimos dias ao subir o tom durante entrevista com Dilma Rousseff e despertar a irritação da ex-presidente. O trecho no …  http://diversao.terra.com.br/tv/sala-de-tv/blog/2016/12/18/quem-e-mehdi-hasan-o-reporter-que-irritou-dilma-rousseff/ via @TerraNoticiasBR

 

RL