Uma pesquisa publicada no periódico científico New England Journal of Medicine na última quinta-feira (7) aponta que pacientes da covid-19 em tratamento com hidroxicloroquina não apresentam resultados melhores do que aquelas que não recebem o medicamento.

Covid-19: maior estudo até agora aponta que hidroxicloroquina é ineficaz – 08/05/2020 – UOL VivaBem

Divulguem para seus amigos crentes que saíram por aí dizendo amém para Trump&Bozo por conta dessa droga. E lhes pergunte quantas vidas foram salvas pelos pesquisadores que tiveram prudência em não sair por aí divulgando falsas curas.

“O estudo de coorte, método escolhido pelos pesquisadores, é uma análise observacional no qual os indivíduos são classificados segundo o status de exposição (expostos e não expostos, neste caso, ao medicamento), sendo seguidos para avaliar a incidência da doença em determinado período de tempo.

“Dos 1446 pacientes que foram admitidos no hospital entre 7 de março e 8 de abril de 2020, 70 foram excluídos por morte, intubação ou transferência para outra unidade de saúde dentro de 24 horas após a apresentação ao departamento de emergência que elegeu os candidatos.

“Cerca de 60% dos 1376 pacientes receberam hidroxicloroquina por cinco dias e todos foram acompanhados durante 18 dias. De acordo com os resultados relatados, eles não mostraram menor taxa de necessidade de ventiladores ou menor risco de morte durante o período do estudo em comparação com as pessoas que não receberam a droga.”

Mas calma calma que eu tenho mais umas coisinhas a dizer. Como, p.ex.:
Liberem a hidroxicloroquina – 25/03/2020 – Helio Beltrão – Folha
Agora me digam, se em algo tão incerto, ele já alardeou tantas certezas, como será que funciona o rigor metodológico e investigativo em uma pós-graduação em “escola austríaca” dirigida pelo seu think tank, o Instituto Mises Brasil?

Numa frase:

NÃO SÃO SOMENTE BOLSOLAVISTAS QUE TÊM ESPÍRITO ANTI-CIENTÍFICO NÃO.

Divulguem e exponham falsários, charlatães e milagreiros.

Ciência é ciência, não é ideologia. Ideologia inspira, mas sempre temos que nos reguardar com os fatos. Esse Hélio Beltrão é um dos maiores divulgadores do liberalismo no Brasil e, além de fazer campanha, escreveu um artigo na Folha defendendo a liberação da hidroxicloroquina. Pois bem, no referido estudo, foi desaprovada. E agora? Pedido de desculpas? NADA. Ou um simples: “eu errei pessoal, desculpa aí”, NADA. Agora pense comigo, e se alguém, inspirado por ele a tomou e veio a ter complicações vindo a falecer? Como fica? Por essas e outras, que nenhuma ideologia, socialismo, liberalismo, conservadorismo, ambientalismo etc. deve pautar o estudo científico, absolutamente nenhuma.