O que eu achei da declaração do Presidente da República hoje culpando a mídia, chamando as pessoas que se resguardam de histéricas, atacando prefeitos e governadores que têm sido proativos, se auto-elogiando por ter sido um “atleta” e que se for contagiado, no máximo, pegará uma “gripezinha”? O que eu achei dele??

Costumo boicotar este tipo de mensagem que foge ao tema principal do grupo, mas acho pertinente colocar uma opinião sobre uma decisão que terá reflexos diretos em nossas vidas. Tentarei faze-la com um máximo esforço para não ofender ninguém…

A República hoje funciona como uma balança e a depender do atual rumo dos acontecimentos, ela penderá cada vez mais para os governadores, que estão em um avançado cabo de guerra com o governo federal. Bolsonaro está cada vez mais isolado e por mais que queira lutar contra a estagnação econômica, tanto em termos de comunicação como de articulação política está falhando.

Quando digo ‘comunicação’ me refiro não só ao público em geral, mas à outras instâncias de poder, como os governos estaduais, prefeituras e, sobretudo, o Congresso Nacional. Se ele não mudar de postura e aprender a dialogar, temo que uma crise política leve a problemas mais duradouros em nossa economia.

O pior dos cenários, no entanto, ainda não está claro para mim (ainda bem), que seria uma cisão entre os militares que integram seu governo. Quero crer – e aqui uso de meu declarado wishful thinking – que haja uma homogeneidade e consonância na postura dos membros do exército que integram o governo, pois guerras civis são vitaminadas quando as forças armadas se dividem.

Bolsonaro repetiu diversas vezes que vivíamos um período similar ao pré-1964… Custei admitir que sim e que ele tem razão, com a grande diferença de quem irá ser derrubado é quem ele menos imagina: o próprio.

Quanto às declarações em si do Presidente, eu me esforço aqui para me conter e não expelir todo o rosário de impropérios que conheço contra esta pessoa.

Torçamos por nós.