In the 1970s, a team of psychologists discovered that children living on the lower, noisier floors had a hard time distinguishing similar words, such as “thick” and “sick.” They also had more difficulty reading than kids who lived on higher floors.

“When noise reaches a certain level, you can no longer perceive important stimuli in your environment, like people talking to you, or your attention is drawn away from these important stimuli by other acoustic signals,” she says.

Noise Pollution Isn’t Just Annoying — It’s Bad for Your Health

O artigo acima, que vale a pena ser lido na íntegra, toca num ponto essencial, para além das doenças citadas (estresse, depressão), que é a perda da capacidade de desenvolvimento cognitivo. Embora não seja seu foco, assim como o ruído constante, a captação da atenção para um estímulo regular e sem troca, interlocução, que pode ser a TV, um tablet ou celular, desestimula o desenvolvimento pessoal da criança. Não consigo deixar de ver aí a criação de uma geração com uma deficiência ambientalmente adquirida.

Anselmo Heidrich

3 mar. 20