[Q]ualquer interpretação sobre o filme ser de direita ou de esquerda é excessivamente limitada. Em nossa atual era, estamos empanturrados de personalidades midiáticas e políticas com visões insanas sobre como a sociedade deveria funcionar. Não deveríamos nos surpreender quando esses visionários recorrem à raiva, e então à desumanização dos oponentes, e finalmente à criação de planos voltados abertamente a destruir tudo o que já existe, apenas pelo prazer da destruição. Esse “tudo que já existe” pode ser qualquer coisa: bilionários, consumo de energia, exploração de florestas, comércio internacional, consumo de carne, diversidade, escolhas humanas, pessoas degeneradas, pessoas tradicionalistas, ou mesmo a simples frustração de um indivíduo ao constatar sua ausência de poder total e efetivo.

Mises Brasil – O Coringa e a ideologia da destruição

Estava procurando pra mostrar, mas não encontrei, uma cena do Cavaleiro das Trevas, filme do Batman, não sei qual deles, se o último ou não, em que o Coringa prende pessoas num barco que pra sobreviverem tem que se matar uns aos outros ou algo assim, mas eles ouvem o discurso, uma mensagem, mas que soa como o mais belo discurso que já ouvi, dele dizendo o que o Coringa queria realmente com isso, nos rebaixar, mostrar que não tínhamos valores, que a moral era uma farsa, que a humanidade era isso mesmo, um lixo e não prestava. Ainda vou achar este excerto que serve como antídoto a toda ideologia de merda que um filme como o Coringa passa.