Antes de sair por aí querendo morder todo mundo que fala em “GÊNERO”, como se fosse um pit-bull com hidrofobia saiba que a palavra gênero, até pouco tempo antes de J. Butler, a filósofa-ideóloga de tal teoria, nada mais era do que um substituto para o termo SEXO.

Abaixo segue um formulário para procura de trabalho na Nova Zelândia. Atente para a pergunta da primeira linha.

Agora, antes de pagar mico acusando o Novo de “se submeter à Ideologia de Gênero” por causa da Agenda 2030 da ONU faça dois questionamentos simples a si próprio:

1. O QUE EXATAMENTE A ONU QUIS DIZER COM A PALAVRA “GÊNERO”?

2. O QUE EXATAMENTE OS POLÍTICOS QUE ENDOSSARAM A TAL AGENDA ENTENDERAM DO DOCUMENTO?

Como dizia um sujeito que fez muito sucesso em um passado menos caoticamente mental de nosso país, “quem não se comunica, se trumbica…” Antes de arrotar uma pureza pergunte com humildade e talvez, aí sim, tu possa ter alguma razão no que diz.

Fica a dica.

(Fonte da imagem: https://register.newzealandnow.govt.nz/…/RPedZAI_hEGOWQjUGf…)

Anselmo Heidrich

23–08–2018