Em primeiro lugar, ainda não se sabe quem matou a vereadora do PSOL, Marielle Franco, se foi um criminoso comum ou um miliciano ligado ou não à PM, qualquer aposta no atual momento é irresponsável; em segundo, quem mata por divergência ideológica é um criminoso, não importa qual sua convicção ou motivação. Agora, quem quer que faça uso político deste fato, sem saber de onde vieram e porque vieram os tiros não passa de um hipócrita, independente de compartilhar ideais comuns comigo, como o livre-mercado, estado mínimo etc., pois seus métodos se submetem aos fins a qualquer custo e com este tipo de gente vai chegar uma hora em que você mesmo será um obstáculo a ser ultrapassado e/ou eliminado. Tudo pela causa.

Anselmo Heidrich