CAPITAL de GIRO CURSO RÁPIDO DE ECONOMIA
Um viajante chega numa cidade e entra num pequeno hotel. Na recepção, entrega duas notas de R$100,00 e pede para ver um quarto.
Enquanto o viajante inspeciona os quartos, o gerente do hotel sai correndo com as duas notas de R$100,00 e vai até o açougue pagar suas dívidas com o açougueiro.
Este pega as duas notas e vai até um criador de suínos a quem, coincidentemente, também deve R$200,00 e quita a dívida.
O criador, por sua vez, pega também as duas notas e corre ao veterinário para liquidar uma dívida de… R$200,00.
O veterinário, com a duas notas em mãos, vai até a zona quitar a dívida com uma prostituta. Coincidentemente, a dívida era de R$200,00.
A prostituta sai com o dinheiro em direção ao hotel, lugar onde, às vezes, levava seus clientes e que ultimamente não havia pago pelas acomodações. Valor total da dívida: R$200,00. Ela avisa ao gerente que está pagando a conta e coloca as notas em cima do balcão.
Nesse momento, o viajante retorna dos quartos, diz não ser o que esperava, pega as duas notas de volta, agradece e sai do hotel.
Ninguém ganhou ou gastou nenhum centavo, porém agora toda a cidade vive sem dívidas, com o crédito restaurado e começa a ver o futuro com confiança!
MORAL DA HISTÓRIA: NÃO QUEIRA ENTENDER ECONOMIA!
A verdade é que a economia cresce pela circulação e não pela posse do dinheiro.
PS. Os bancos vivem disto, com isto auferem lucros, pagam ao poupador juros irrisórios e cobram do cliente devedor, juros escorchantes. A isto chama-se: efeito multiplicador da moeda.

Alguns detalhes nesta história que não combinam com a conclusão:

1º) Não é o dinheiro que circula a riqueza na economia, mas as trocas. O dinheiro, seja em espécie ou crédito é só um equivalente geral para facilitar as trocas;

2º) O cliente que retomou seu dinheiro só o fez por se decepcionar (ou agir mentindo) sobre a qualidade dos quartos, pois normalmente não é o que acontece.

 

Ainda…

 

3º) Bancos são agências que vendem uma mercadoria especial, o crédito. Para que seu preço, que chamamos de juros seja menor, a concorrência entre as agências deve existir. Para que esta concorrência seja maior ainda baixando o valor dos juros, nós precisamos de mais bancos agindo e não, menos.

 

Atenciosamente,

Anselmo Heidrich