O Esquerdista em solilóquio

Ninguém o quer

Ninguém acredita mais

Nas loucuras de sua ideologia

 

Mas não se aperreie

Ele finge que irá vencer

Alguém votará nele

E manterá sua patologia

 

Outros virão

E se deitarão no ringue

Clamando por propinas e bolsas

Deixando a mente na sala de anatomia

 

Pobre Esquerdista

Capitalizando sua cúpula

Fez oposição a vida inteira

Mas não passa de uma anomia

 

Anselmo Heidrich