Anselmo Heidrich

Eu tenho dificuldade de me definir política e ideologicamente, mas tenho muita facilidade em apontar o que não acredito. Desnecessário dizer como rejeito as variante socialistas, pelo seu apreço e dependência de poderes centrais e planificadores como recurso necessário ao desenvolvimento social. Mas também tenho visto com cada vez mais desconfiança liberais que gostam de simplificar as coisas e, particularmente, o liberal brasileira que se auto-denominando ‘libertário’ vê a sociedade brasileira dividida entre maus concentrados no estado e vítimas compondo a sociedade civil organizada no mercado. Seria bom se fosse tão fácil… Daí bastaria acabarmos com o estado, i.e., todas as instituições públicas. Claro que temos que reduzir centenas de órgãos e sem pensar em quais diria que temos que extingui-los mesmo e ainda acho que nem precisaríamos ter ministérios etc. Mas chegar e dizer que basta uma Constituição para que o país funcione bem é de uma ingenuidade atroz. Quando convoco liberais desse tipo a me apresentar provas, sua desculpa a guisa de resposta é sempre que “ainda não existe”, que “por isso tem que ser debatido somente no plano teórico”. Sinceramente, se algo não pode ser verificado, ainda que parcialmente, na realidade, não me serve e duvido que sirva para alguém.

Um cacoete facilmente verificável é que gostam de citar países conhecidos por seu alto grau de liberdade, como a Suíça, dentre outros. Mas esquecem que esta liberdade não vem sozinha. Ela se torna possível devido ao respeito pelo espaço público, entendendo este como momentos e lugares comuns onde regras de convivência devem ser observadas.

Um exemplo:

“Os cães aqui na Suíça têm uma vida bem diferente dos cães no Brasil. Aqui não existe vira-lata passeando pelas ruas. Todos os proprietários de cães devem registrá-los (acima de 6 meses de idade) e pagar uma taxa de Sfr. 100 (francos suíços) por ano (mais ou menos R$ 140,00). Essa taxa é chamada de “Hundesteuer”, “Imposto de cão”.

“Todos os cães recebem um número de registro gravado em uma medalha. Isso ajuda a localizá-los no caso de perda. O registro dos cães é feito na polícia local que localiza o dono do animal perdido através do cadastro. Periodicamente, a polícia oferece aos proprietários de cães, cursos como cuidados, treinamento, etc..”

[http://www.webanimal.com.br/cao/index2.asp?menu=vdcsuica.htm]

Um entre milhares de exemplos conforme o caso que queiramos citar. Menos impostos ou altos impostos com mais serviços, mas forte presença de regras.

O problema do liberal brasileiro que elogia países como a Suíça é que ele gosta de recortar a realidade mostrando só o que lhe convém.

O que não é sua exclusividade… A esquerda também faz isto ao evidenciar a desigualdade sem citar como o pobre de um país ou região ascendeu socialmente. No campo político temos mais advogados de causas que em outras áreas, pois todos enfatizam os fatos que lhe convém sem mostrar o conjunto da obra. É o que se chama “ver a árvore, mas não ver a floresta”.