Os grandes jornais paulistas fizeram matérias interessantes para refletirmos sobre nossa situação. Primeiro, O Estado de S. Paulo sobre a proliferação da chamada “direita” nas redes sociais e internet em geral.[1] Seu mapeamento partia de um quadrante cujas linhas abscissa e ordenada evoluíam para a sua direita em autoritarismo e para cima em graus de liberdade. E aí, os diferentes movimentos, jornalistas, artistas, blogueiros etc. eram situados.

E a Folha de S. Paulo fez também uma matéria sobre pequenos partidos como o Novo, o PTN, o PHS e o nosso, PSL como pequenas legendas (que não somam juntos 30 deputados no Congresso), mas que pretendem aumentar o número de filiados ao reduzir o poder dos “caciques partidários”.[2] Bem, sem entrar em detalhes do tipo “não é bem assim” para todos as legendas mencionadas, o fato é que há, nitidamente, uma maior competição. Seja no campo ideológico, como atesta a matéria do Estadão, sobretudo contra a Esquerda e, internamente, pois não há consenso em muitos pontos dentro do universo antiesquerdista e também, no campo pragmático, dos partidos em formação em dos tradicionais, cujos novos membros vieram a reboque das grandes manifestações contra o PT e que agora se estendem contra outros, especialmente, o PMDB.

Ainda é cedo para fazer previsões, a não ser que assumamos grande margem de erro, mas uma coisa é fato, aquele discurso único, simplista, do bem contra o mal, sendo o primeiro um rosário de promessas e intervenções estatais contra o mal abstrato figurado em qualquer um que não se invista de uma fantasia social-não-sei-o-quê já passou. Iniciemos, portanto, uma renovação linguística acabando com essa significação da novilíngua da esquerda que demonizou o trabalho, o empreendimento e enriquecimento justos colocando as coisas no seu devido lugar… Bem vindo Capital! Bem vindo Trabalho! E principalmente Abaixo os Privilégios Estatais!

Por Anselmo Heidrich

[1] Via @estadao: A ‘máquina’ barulhenta da direita na internet –  http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,a-maquina-barulhenta-da-direita-na-internet,70001714254. Acesso em 26 mar. 17.

[2] Por mais filiados, partidos pequenos tentam tirar as decisões de caciques http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/03/1869678-pequenos-partidos-tentam-tirar-as-decisoes-de-caciques.shtml?cmpid=comptw. Acesso em 26 mar. 17.