Saca só, ao invés de falar em “fim dos benefícios” acorde e aprenda que a previdência significa MANUTENÇÃO DE PRIVILÉGIOS. Então, ao invés de papagaiar a retórica dos sindicatos e funcionários públicos de alto escalão que acumulam cargos e se aposentam com altos salários, apenas admita que ninguém deve ter um benefício superior aos que como nós teremos um teto de no máximo cinco salários mínimos, apenas admita que na aposentadoria se gasta menos que na juventude e que agora é que é a hora de ganharmos mais e podemos poupar (e não o contrário), apenas admita que viver mais implica em trabalhar mais (daí a necessidade de estender o tempo de contribuição) e, mais importante, apenas admita que o fundo a que devemos destinar não DEVE SER O ESTATAL-GOVERNAMENTAL e também NÃO NOS DEVE SER IMPOSTO. Devemos optar por qual fundo de pensão nos interessa.

Anselmo Heidrich